segunda-feira, 25 de junho de 2007

quem sou eu...

Eu sou alguém que sofre por bobagens, muitas vezes me preocupo com coisas mesquinhas e me julgo incapaz de crescer. Quase sempre me pergunto o que estou fazendo nesse mundo e quase sempre me sinto uma peça que não se encaixa. Erro, pergunto, procuro o sentido da vida, da minha vida. Digo não diante de coisas que não posso aceitar. Brigo, grito, esbravejo. Acho importante lutar contra tudo que considero injustiça mesmo que isso em exponha. Trago dentro de mim cicatrizes e marcas dos combates que vivi. Muitas vezes essas cicatrizes e marcas me fazem sofrer e ser injusta com aqueles que circulam pela minha vida. Acabo transferindo para eles coisas e sofrimentos que vivi. Um dia pretendo estar na companhia de Deus. Hoje sei que as cicatrizes que carrego são necessárias para me fazer lembrar de todas as lutas e de todos os sofrimentos que passei para que minha fé fosse forjada cada vez mais e que eu mereço continuar indo em buscar da realização dos meus sonhos.

domingo, 24 de junho de 2007

Mãe

Ali correndo te vi ao meu lado. te enxerguei de repente, como que por acaso. tu estavas ali comigo. nao sei porque. talvez por sempre tivesse acreditado em mim. sempre me fez acreditar que tudo seria possivel e sempre me ajudou a fazer isso acontecer. mesmo quando me achavas burra, ainda assim queria me impulsionar pra frente. mesmo quando duvidavas de mim estava ali comigo. torcendo na reta de chegada. tendo a certeza de que eu conseguiria.
nossa historia estava ali. todas as dores, todas tribulações, tudo que passamos juntas ou separadas. todo abandono, toda marca, toda cicatriz. tudo estava ali. cada passo, cada pisada, me lembrou voce. chorei. ali no meio da pista, eu chorei. pq nao sabia o q buscava e de repente tudo ficou tao claro. toda busca foi respondida.
eu busco me superar. busco se diferente do que sou. busco ser melhor a cada dia. busco até mesmo ser melhor do que você. nao quero repetir teus erros. quero apenas inspirar-me nos teus acertos. ser semelhante a ti naquilo que eras imensa. ser bondosa, generosa, gentil, ter fé nas pessoas, firme, forte. mas preciso ser diferente naquilo que eras pequena.
te vi do meu lado e quis chegar ao final pois sei que ali estava superando muitas coisas. superando o que se espera de mim, superando o que nao se acredita em mim, superando até mesmo o cuidado que devo ter comigo, ir além de mim mesma. te vi ali...e queria te ter ao meu lado. ou pelo menos na reta de chegada. como sinto tua falta. como te amo. mae...

Vento no rosto - Carla Pepe

O vento batia no meu rosto.
O sol me esquentava e me fazia suar.
Os pés me levavam adiante, sempre em frente até chegar.
Os olhos viam o caminho a percorrer.
Parecia que eu estava percorrendo a minha vida.
Cada quilometro era um pedaço de mim que eu precisava superar.
Primeiro a preguiça...a preguiça de andar, de dar o passo adiante.
Depois a solidão, ao meu lado ninguem percorria comigo.
Em seguida, a sede...água para regar a boca seca, o rosto suado.
Logo depois, o cansaço...a vontade de parar, de desistir.
De corresponder ao que se espera de mim...de nao ir até o fim.
Por fim, a vontade de vomitar, de vomitar a preguiça, a solidão, o cansaço, enfim...
Mas venci, cheguei até o fim. Não importa em que lugar, nem a distancia que percorri e sim que eu percorri. Cheguei. Venci. Venci o maior obstáculo, a mim mesma.