quinta-feira, 30 de março de 2017

O valor da flor


O valor da flor
By Carla Pepe


Ela era uma charada.
Tinha uma verdade descarada.
Chorava e se sentia desamparada.
Mas se vestia do jeito que queria.
Ela tinha até certa nostalgia.
Meio moça, meio mulher, com certa dose de ironia.
Ela dançava ao som da própria sinfonia.
Livre das amarras.
Rejeitava gambiarras.
Já viveu no fio da navalha.
Teve gente que achou que era fogo de palha.
Outros a classificaram como canalha.
No entanto, a morena sabe seu valor.
Demorou, mas viu a raiz da sua flor.
Ergueu bem no alto seu perfume de amor.
E seguiu sempre em frente, pelo caminho multicor.


Postar um comentário